ASSOCIAÇÃO SHAOLIN KUNG FU DE ARTES MARCIAIS

CONFEDERAÇÃO INTERESTADUAL DE KUNG FU OPEN BRASIL DE ARTES MARCIAIS

Louva-a-deus

A ORIGEM DO LOUVA-A-DEUS

O louva-a-deus se tornou um animal bastante venerado no mundo das artes marciais chinesas por conta de sua ferocidade, combatividade e tenacidade de vida. É dito em lendas que foi o mestre de luta Wang Lang quem exaltou as habilidades da pequena e ativa criatura, criando o estilo Louva-a-deus de autodefesa. Wang Lang foi um exímio espadachim, que mesmo ouvindo histórias de que os monges Shaolin eram invencíveis nas artes marciais, estava determinado a acabar com essa fama enraizada na crença popular. Wang foi ao Templo Shaolin e solicitou uma luta ao amigo monge para testar suas habilidades contra ele, em duelo amigável. Devido a sua insistência repetitiva, o monge mestre atendeu o pedido e enviou um monge novato para lutar contra Wang. Para a surpresa e vexame de Wang, ele foi decisivamente derrotado.
Lutas de full contact sempre foram populares tanto para o Kuo Shu, quanto para o Wushu. O que diferenciava as modalidades eram as regras – ou ausência delas. Em 1928, a Central Kuoshu Academy organizou e patrocinou o primeiro torneio de full contact. No mesmo ano, o Partido Comunista tomou o poder na China continental e o governo nacionalista se mudou para Taiwan. Em 1955, os nacionalistas sediaram uma competição de full contact, chamada de Lei Tai. Nessa época, as regras utilizadas eram simples: nada de proteção e não existiam categorias de peso (resquícios dos antigos combates). Em 1975, o governo de Taiwan patrocinou o primeiro Campeonato Mundial de Kuoshu e a partir daí as competições de Lei Tai passaram a ter divisões de peso. Durante o mesmo período, na China continental, o Partido Comunista oprimia a prática das artes marciais chinesas, que eram permitidas apenas para demonstração. Apenas em 1979, o Wushu passou a ser aceito como forma de defesa pessoal. A partir daí os praticantes começaram a definir regras para os torneios e em 1991 foi publicado pela Federação Internacional de Wu Shu o primeiro conjunto oficial de regras de San Shou. Enquanto isso, em 1988, a Federação Mundial de Kuoshu (TWKSF) estabeleceu um novo conjunto de regras para os torneios de Kuo Shu.

Árvore Genealógica do Estilo Louva-a-deus 7 Estrelas

Fundador: Wang Lang

1ª geração: Shen Xiao Dao Ren
2ª geração: Li San Jian
3ª geração: Mestre Wong Rong Sheng
4ª geração: Mestre Fan Xu Dong
5ª geração: Mestre Luo Guang Yu
6ª geração: Mestre Wong Hon Fan, Chiu Chi Man, entre outros Mestres
7ª geração: Mestre Yuen Man Kai e Hui Wai Pong
8ª geração: Li Pui Chen e Mestre Li Wing Kay

Estilo 7 estrelas
Provavelmente o mais conhecido e difundido estilo de Boxe louva-a-deus no mundo, o 7 estrelas tem como principais características as transições mais complexas (utilizando truques para conseguir distâncias curtas para posicionamento de ataques), chutes rápidos e baixos (raramente acima dos joelhos), ataques penetrantes ao invés de impactos de superfície, utilização de mais técnicas de escape do que de bloqueios (guardas). Foi introduzido no Brasil pelo Grão Mestre Li Wing Kay, que aprendeu o Louva-a-Deus com seu amigo Li Pui Chen, discípulo de Hui Wai Pong, em troca do ensino das técnicas de Wing Chun.

Árvore Genealógica do Estilo Louva-a-deus – Flor de Ameixa

Fundador: Wang Lang

1ª geração: Mestre Li Bing Xiao
2ª geração: Mestre Zhao Zhu
3ª geração: Mestre Liang Xue Xiang
4ª geração: Mestre Jiang Hua Long
5ª geração: Mestre Li Kun Shan
6ª geração: Mestre Li Hong Jie
7ª geração: Mestre Chang Fu-Chen, Mestre Li Wing Kay, entre outros Mestres

Estilo Flor de Ameixa

Um dos mais antigos troncos do sistema Louva-a-deus, o Flor de Ameixa é subdividido em diversos estilos, como Taiji, Mei Hua, Chang Quan e Mimen Tang Lang Quan. É famoso por seus ataques rápidos e contínuos, simbolizando as cinco pétalas da flor de ameixa. Foi introduzido no Brasil pelo Grão Mestre Li Wing Kay, complementando o ensino do estilo Sete Estrelas, porém em 2005 começou a ser ensinado como um ensino completo.
Rolar para cima